Limpeza de bancadas de laboratório

A limpeza de bancadas de laboratório deve ser um ato de grande prioridade, pois o facto da bancada do laboratório não estar suficientemente limpa poderá alterar os resultados que desejamos obter no laboratório, seja um laboratório de experiências ou de produção.

Quando se fala em limpezas, temos sempre de ter em conta o local a ser limpo, o tipo de uso que é feito, para que é utilizado e a frequência com que é utilizado.
Qualquer laboratório deve estar impecavelmente limpo, livre de qualquer tipo de sujidade e mesmo de qualquer material que não se enquadre na atividade aí exercida ou executada.

Toda a limpeza de um laboratório deve ser feita tendo em conta o lixo que se produz, o que nele se executa. É recomendada, por isso, a limpeza do chão de um laboratório, no mínimo, duas vezes por dia. Mas também pode ser possível que um técnico solicite ao departamento próprio uma limpeza adicional, sempre que considere conveniente e que esteja em causa a atividade a exercer.

Qualquer que seja o caso, o encarregado da limpeza deverá ter conhecimento dos tipos de produtos usados no laboratório de modo a proceder à melhor limpeza e à sua própria proteção, por exemplo, caso seja necessário usar máscara facial para proteger as suas vias respiratórias e evitar contacto físico com produtos usando luvas de borracha.

A limpeza das bancadas do laboratório, em especial, deve ser feita sempre que não esteja a decorrer nenhum tipo de manipulação de produtos no laboratório, pelo que em regra, a limpeza da bancada deverá ser executada nos finais de turnos, de modo a que esteja limpa e livre de sujidade para quem vai trabalhar em seguida, sendo que em regra a limpeza de uma bancada é mais profunda no período noturno.

Deve-se ter em conta, assim, que a limpeza da bancada de um laboratório necessita de limpeza antes e depois de cada atividade ou experiência, pois irá remover toda e qualquer substância perigosa, mantendo a área segura.

Com isto em mente, a bancada também fica livre de materiais que poderão contaminar amostras e condicionar o próprio trabalho e resultados dos técnicos. Por exemplo, usar lixívia e etanol para limpar uma bancada destrói todas as bactérias, mesmo as mais pequenas, como nos casos de laboratórios de ADN.

Como fazer a limpeza de bancadas de laboratório

A pessoa que irá proceder à limpeza ou o encarregado deverá saber se o material existente na bancada do laboratório pode ser removido. Assim que tiver a autorização, deverá colocá-lo de lado, de modo a deixar a área a limpar livre.
Em primeiro lugar deverá passar uma esponja embebida apenas em água e sabão e depois passar um pano úmido sobre a superfície para retirar o excesso. Em seguida, deverá passar um pano embebido em álcool, mas álcool 70%.
Há técnicos especialistas que sugerem que para proceder a esta limpeza é necessário luvas de latex, lixívia, etanol, água e toalhas de papel. Caso a pessoa a limpar tenha cabelo comprido, deverá prender o cabelo.

Em relação à limpeza, sugerem uma mistura de lixívia com nove partes de água. Uma toalha de papel deverá ser humedecida e então usada para limpar a superfície da bancada. Depois, deverá utilizar uma mistura de sete partes de etanol e três de água. Utilizar outra toalha de papel humedecida e fazer a limpeza da bancada do laboratório e deixe secar.

Por fim, deverá humedecer uma nova toalha de papel na mistura da lixívia e usar para limpar as bases dos itens e equipamentos que foram postos de lado anteriormente e volte a colocar tudo no sítio.

Com estas operações termina a limpeza das bancadas de laboratório, ficando tudo apto para o laboratório voltar a funcionar normalmente.



Deixe um Comentário